Categoria ‘Arqueologia’ Antropologia

28
Jul

Publicações no Periódico eletrônico Cadernos do LEPAARQ

Prezados (as),
O Periódico eletrônico Cadernos do LEPAARQ – Textos de Antropologia, Arqueologia e Patrimônio (ISSN: 2316-8412) torna pública a chamada de trabalhos inéditos para 2015/01. O escopo do periódico é a divulgação científica nas áreas de Antropologia, Arqueologia e Patrimônio, publicando as seguintes sessões:
(1) artigos, (2) relatórios e notícias institucionais e (3) resenhas, (4) ensaio visual, (5) notas de pesquisa.

A submissão dos trabalhos deve ser realizada até 31 de dezembro de 2014. As contribuições devem ser submetidas através do sistema eletrônico do periódico: http://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/lepaarq/index
Para maiores informações entrar em contato com Rafael Guedes Milheira pelo e-mail: milheirarafael@gmail.com

Solicitamos ampla divulgação!

Att.

Rafael Milheira

13
May

IPHAN e UNESCO lançam chamada pública do Centro Lucio Costa para seleção de artigos sobre patrimônio

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), por intermédio do Centro Regional de Formação em Gestão do Patrimônio Cultural e Natural – Centro Lucio Costa (CLC) -, um Centro de Categoria II da UNESCO sediado no Rio de Janeiro, lançou uma chamada pública para seleção de artigos sobre o tema “A construção do campo do patrimônio cultural e natural e as práticas de preservação contemporâneas nos países de língua portuguesa ou espanhola, da América Latina, África e Ásia”.

A seleção de artigos tem o objetivo de reunir informações sobre a construção do campo do patrimônio cultural e natural nos países da Região de interesse do Centro Lucio Costa: países de língua oficial portuguesa e espanhola da América do Sul (Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela), África (Angola, Cabo Verde, Guiné Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique e São Tomé e Príncipe) e Ásia (Timor Leste).

Serão selecionados 17 artigos inéditos e individuais, em português ou espanhol, preferencialmente um de cada país que compõe a Região, no valor individual total de U$ 2,200. Poderão apresentar propostas, até o dia 05 de julho, pessoas físicas dos países de língua portuguesa ou espanhola da América do Sul, África e Ásia, que comprovem ter residência ou nacionalidade em um deles, e que tenham formação universitária. Os artigos poderão ser textos analíticos com síntese interpretativa, relatos de casos, revisão e discussão da bibliografia sobre o tema.


Centro Lucio Costa

O Centro Lucio Costa foi criado a partir de projeto de cooperação entre Iphan, UNESCO e Agência Brasileira de Cooperação (ABC), assinado em agosto de 2011, que visa ampliar a capacidade de gestão das instituições envolvidas na preservação dos bens de países da América do Sul, de língua portuguesa e espanhola da África e Ásia. Com base em uma perspectiva integrada das Convenções da UNESCO de 1972, 2003 e 2005, o Centro atua na formação prioritária de gestores do patrimônio, com perfil generalista e capacidade de interlocução no processo de formulação, implementação, monitoramento e avaliação de políticas públicas relacionadas ao Patrimônio.

Entre os objetivos do Centro estão a pesquisa, a capacitação e a difusão de conhecimentos em gestão do Patrimônio Cultural e Natural com vistas à ampliação das possibilidades de atuação de profissionais e instituições que lidam com a preservação de bens culturais e naturais.

Fonte: rets.org.br

11
Apr

Seleção de professores substitutos em Antropologia e Arqueologia

A Universidade Federal de Pelotas, por meio da Coordenação de Processos de Seleção e Ingresso (CPSI), estará de 07 a 14 de abril realizando inscrições para a contratação de PROFESSOR SUBSTITUTO nas áreas de Antropologia e Arqueologia.

Antropologia: 01 VAGA
Regime de Trabalho 20h
Titulação Exigida – Mestrado em Antropologia ou Mestrado em Ciências Sociais com ênfase em Antropologia

Arqueologia: 01 VAGA
Regime de Trabalho 40h
Titulação Exigida – Mestrado em Arqueologia ou área afim com dissertação defendida na área de Arqueologia.

Para mais informações por gentileza acesse o edital no endereço: http://concursos.ufpel.edu.br/wp/wp-content/uploads/2014/04/Ed-037-substituto.pdf

Prof. Dr. Cláudio Baptista Carle
Coordenador do Bacharelado em Antropologia (Antropologia Social e Cultural e Arqueologia)
LÂMINA – Laboratório Multidisciplinar de Investigação Arqueológica
GEPIEM – Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Imaginário, Educação e Memória -FAE
GENTIS – Grupo de Estudos, Pesquisas e Ações em Arqueologia, Etnologia e Etno-história
DESLOCC – Grupo de Pesquisa Deslocamentos, Observâncias e Cartografias Contemporâneas – CA
Mestrado em Antropologia – Área de Concentração em Arqueologia – PPGA
Departamento de Antropologia e Arqueologia
Instituto de Ciências Humanas – ICH – http://www.ufpel.tche.br/ich/
Universidade Federal de Pelotas – UFPel
Rua Alberto Rosa, 154
96010-770 Pelotas RS
BRASIL – Fone: 053- 3284.5531

7
Apr

Exposição Prorrogada: 12000 anos de História

cartaz
Foi prorrogada até o dia 18 de julho de 2014 a exposição 12000 anos de História: Arqueologia e Pré-História do Rio Grande do Sul.

A exposição conta com painéis informativos, artefatos arqueológicos, material áudio-visual e cenários articulados
com as demais informações, cujo objetivo é apresentar um panorama geral acerca do povoamento pré-colonial do Rio
Grande do Sul, abrangendo um período de tempo de 12000 anos.

pre-historia

 

pre-historia1

 

pre-historia2

 

liticos-pre-historia

 

liticos-pre-historia2

 

escavacoes-arqueologicas

6
Dec

Mobilização indígena em Brasília

Alex Rodrigues e Danilo Macedo
Da Agência Brasil, em Brasília
04/12/201312h26

Ueslei Marcelino/Reuters

Depois de cercarem o Palácio do Planalto, em Brasília, na manhã desta quarta-feira (4), cerca de 1,2 mil índios de várias etnias estão neste momento divididos em manifestações no Congresso Nacional e diante do Ministério da Justiça.

O grupo protesta contra o que classifica como mais uma iniciativa do governo federal para inviabilizar a demarcação de terras indígenas. A presidenta Dilma Rousseff não estava no local.

Durante o protesto, os índios chegaram a entrar em conflito com seguranças do Palácio do Planalto e a fechar o trânsito em vários trechos da Esplanada dos Ministérios.

O estopim da manifestação foi a minuta (esboço) de uma portaria que, segundo as lideranças indígenas, o Ministério da Justiça está produzindo.

Representantes do movimento dizem ter tido acesso à cópia do documento no último final de semana. Segundo Sônia Guajajara, uma das coordenadoras da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib), o texto estabelece mudanças nos procedimentos legais necessários ao reconhecimento e à demarcação de terras indígenas.

A proposta, ainda segundo Sônia, visa a oficializar a proposta do governo federal de que outros órgãos de governo além da Fundação Nacional do Índio (Funai) sejam consultados sobre os processos demarcatórios em curso.

A proposta foi apresentada pela ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, ainda no primeiro semestre deste ano, com a justificativa de minimizar conflitos entre índios e produtores rurais.

“A gente entende que a minuta servirá só para dificultar ainda mais o processo de identificação e demarcação de terras.

O governo federal e o Congresso Nacional estão aliados para atacar e diminuir os direitos indígenas, principalmente os territoriais, favorecendo o agronegócio e o latifúndio”, disse Sônia Guajajara à Agência Brasil, adiantando que o grupo quer ouvir o ministro José Eduardo Cardozo sobre o assunto.

“Há um momento em que as autoridades, e o ministro da Justiça, principalmente, têm que se posicionar e atuar para que os direitos sejam cumpridos, para implementar o que já é garantido constitucionalmente, e não adiar ainda mais isso.

O efeito da demora na demarcação de novas terras indígenas é tensionar ainda mais a situação. O governo e o ministro pensam que estão mediando, apaziguando as tensões, mas os conflitos só vêm aumentando”, acrescentou Sônia.

Ao perceber a chegada dos índios, seguranças fecharam todas as portas de acesso ao Palácio do Planalto. Os índios rodearam o edifício e tentaram passar pela entrada lateral.

Fazendo barulho e carregando faixas com pedidos de “demarcação de terra urgente”, alguns manifestantes forçaram a passagem, entrando em confronto com a segurança. Alguns seguranças chegaram a usar spray de pimenta para dispersar o grupo.

Após cerca de meia hora no local, parte do grupo seguiu para o Congresso Nacional. Outra parte se reuniu diante do Ministério da Justiça, impedindo o acesso dos servidores que chegavam.

Policiais militares reforçam a segurança do local. Representantes do ministério estão negociando com os líderes do protesto. Segundo a assessoria do ministro José Eduardo Cardozo, ele pretende receber uma delegação indígena para discutir o tema.

Além de criticar a minuta, os índios também cobram a apuração de crimes contra os povos indígenas, como o assassinato do cacique Ambrósio Vilhalba, da Aldeia Guarani-Kaiowá Guyraroká, em Cristalina (MS). Vilhalba foi encontrado morto na última segunda-feira (2).

A Polícia Civil deteve dois suspeitos e investiga se a morte foi consequência de rixas entre o cacique e outras lideranças da aldeia.

“O governo deve deixar de promessas e cumprir o que prometeu para nós. Hoje você vê o povo indígena lá em Mato Grosso do Sul sendo assassinado por fazendeiros, por grandes pecuaristas, que querem tomar a terra do índio. Queremos demarcação de terras urgente. Não dá mais para aguentar. Também queremos direito à saúde e à educação. E respeito ao povo indígena”, disse o índio kinikinau, de Mato Grosso do Sul, Nicolau Flores.

http://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2013/12/04/indios-protestam-em-brasilia-contra-mudanca-no-processo-de-demarcacao-de-terras.ht

28
Nov

II Congresso Internacional de Direito dos Povos e Comunidades Tradicionais – 2014

“Direito dos povos e comunidades tradicionais: entre a implementação, ameaça e retrocesso constitucional”

24 a 26 de março de 2014

Universidade Federal da Bahia (UFBA) – Salvador – Bahia – Brasil

Resumos (artigo científico e relato de experiência) e pôsteres deverão ser enviados exclusivamente pela Internet, até às 24h (horário oficial de Brasília) do dia 31 de dezembro de 2013, para o e-mail iicidpct@gmail.com. Especificar eixo temático no e-mail.

Mais informações:
http://www.grupodepesquisapct.ufba.br/?p=224

19
Nov

Antropólogos buscam no México os primeiros habitantes da América

sepultura-mexico-antropologia-1
Um grupo de cientistas mexicanos e espanhóis pesquisa umas 30 ossadas humanas encontradas em uma caverna de Tamaulipas, estado do nordeste do México, na fronteira com os Estados Unidos, que poderiam estar relacionadas com os primeiros habitantes da América, informou uma fonte oficial.

“Cerca de 30 ossadas humanas, cuja antiguidade se estima por volta do segundo milênio antes da nossa era, e que foram encontradas na caverna La Sepultura, no estado de Tamaulipas, poderiam estar relacionadas com os primeiros habitantes do continente americano”, informou em um comunicado o mexicano Instituto Nacional de Antropologia e História (INAH).

Pesquisadores de várias instituições mexicanas e da Universidade de Córdoba (sul da Espanha) fazem um estudo genético dos restos humanos, resgatados em 2011, com o objetivo de elaborar o perfil bio-arqueológico da região, acrescentou o INAH.

O DNA dos restos esqueléticos encontrados no município de Tula, na Sierra Madre Oriental, “poderia ser muito antigo, pois estas linhagens remontariam a grupos de 10.000 e 12.000 anos antes de Cristo”, assegurou o antropólogo físico Jesús Ernesto Velasco, do Centro INAH-Tamaulipas, citado no comunicado.

Se esta hipótese for comprovada através dos estudos de morfologia craniana, do DNA antigo e de testes de radiocarbono se “demostraria que nesta área se encontram indícios de uma das linhagens genéticas mais antigas da América”, associado com o dos homens que cruzaram o Estreito de Bering, acrescentou.

Por enquanto, “estamos à espera de corroborar dados genéticos, físico-químicos e mais datações para contrastá-los com os morfológicos e culturais obtidos”, para assim conhecer a origem dos grupos pré-históricos do nordeste mexicano e sua dispersão através do tempo, acrescentou Velasco.

Os trabalhos de pesquisa desta vasta região, onde há grande quantidade de cavernas pré-históricas e manifestações gráfico-rupestres, começaram em 2009 na caverna de La Sepultura.

Uma delas é a chamada caverna Escondida ou Encantada, muito próxima de Ciudad Victoria, capital de Tamaulipas, onde em 2012 foi resgatada uma múmia e outros dois esqueletos de crianças.

Já em 2008, nesta mesma caverna, foi encontrado um exemplar mumificado que posteriormente foi estudado pelo Paleo-DNA Laboratory of Lakehead University, em Ontário, Canadá.

Os resultados demonstraram que esta múmia tinha uma linhagem genética que “se associou de forma geral a diversos grupos que povoaram de forma precoce o continente americano”, estabelecendo a base para comparação futuras, informou o antropólogo Velasco.

Fonte: Yahoo!

 

16
Nov

II Jornada de Estudos Sobre Escravidão, Resistência e Pós-abolição na UFPel

Caros(as),

Convido-os, por meio deste, a participarem da II Jornada de Estudos Sobre Escravidão, Resistência e Pós-abolição, que acontecerá de 09 a 12 de dezembro, no Auditório da FAE. Lembro que esta edição contempla apresentação de comunicações, que caso estiverem bem articuladas, podem ser encaminhadas para publicação, conforme orientações de arquivo que segue em anexo.

Mais informações nos links para o cartaz e em comunicações da jornada:

Peço a gentileza de ampla divulgação.

O blog do evento: jornadadeeerpa.blogspot.com.br

Att.

Rosane A. Rubert
Profa. Departamento de Antropologia e Arqueologia
Instituto de Ciências Humanas – UFPel