Categoria ‘Etnologia afrodescendente’ Antropologia

16
Nov

II Jornada de Estudos Sobre Escravidão, Resistência e Pós-abolição na UFPel

Caros(as),

Convido-os, por meio deste, a participarem da II Jornada de Estudos Sobre Escravidão, Resistência e Pós-abolição, que acontecerá de 09 a 12 de dezembro, no Auditório da FAE. Lembro que esta edição contempla apresentação de comunicações, que caso estiverem bem articuladas, podem ser encaminhadas para publicação, conforme orientações de arquivo que segue em anexo.

Mais informações nos links para o cartaz e em comunicações da jornada:

Peço a gentileza de ampla divulgação.

O blog do evento: jornadadeeerpa.blogspot.com.br

Att.

Rosane A. Rubert
Profa. Departamento de Antropologia e Arqueologia
Instituto de Ciências Humanas – UFPel

29
May

URGENTE! Fuzileiros navais invadem Quilombo do Rio dos Macacos para expulsar moradores

Ontem à noite, a Marinha do Brasil invadiu o Quilombo Rio dos Macacos, para derrubar a casa de um morador. As notícias, da noite passada, dão conta de que os moradores resistiram dentro da casa, mas os fuzileiros, fortemente armados, montaram acampamento na frente da mesma, ameaçando derrubar a casa com os moradores dentro.

Os fuzileiros haviam derrubado uma das paredes da casa, que caiu em cima de uma criança, ferindo a mesma.

Dois advogados da AATR (Associação dos Advogados e Advogados de Trabalhadores Rurais um da Comissão Pastoral da Terra (CPT) estavam a caminho do Quilombo, para ajudar a comunidade.

O pedido da comunidade e de sua apoiadores é por uma mobilização urgente, para que essa notícia divulgada em todas as redes sociais comprometidas com a luta pela justiça. E que quem tem contato com órgãos de imprensa repasse a denúncia.

Ontem, havia também uma mobilização no sentido de todas as pessoas comprometidas com a luta se deslocarem para Rio dos Macacos, para dar apoio ao Quilombo. Até esta manhã, não tivemos novidades sobre a situação.

Com base em notícia postada em http://reconquistaranegritude.blogspot.com.br/2012/05/fuzileiros-navais-invadem-quilombo-do.html, enviada por Lucia Xavier.

Enviado por:
Maria Heloisa
Acadêmica do Bacharelado em Antropologia UFPel
Acadêmica da Especialização; Educação, Diversidade e Cultura Indígena EST
Integrante no NETA
Integrante do NEAAM

11
Apr

I Ciclo de Cinema Sobre o Continente Africano

cinema-africano

O Núclo de Ensino AfroAmericanos(NEAAM) apresenta o I Ciclo de Cinema Sobre o Continente Africano.
O evento se propõe à exibição quinzenal, durante o primeiro semestre de 2012, de filmes e documentários que têm por tema a história e cultura africanas, e que são produzidos por diretores africanos. As exibições serão seguidas de debates provocados por comentaristas previamente convidados.

As exibições acontecerão no Auditório da Faculdade de Direito, as 14horas.

As inscrições devem ser feitas atráves do e-mail: nucleoestudosafro@gmail.com

Programação:
4/04/2012 Angano… Angano… Contos de Madagascar – César Paes
Sinopse: Angano… Angano… Contos de Madagascar (“Angano”
significa “história”) mostra a cultura viva do povo malgaxe (de
Madagascar), que resistiu, desde a independência formal em 1960, a um
regime neocolonialista, um governo autárquico de esquerda e dificuldades
econômicas que se mesclam com depredação ecológica. As histórias são
contadas através das vozes de diversos narradores, homens e mulheres.
Duração: 63 minutos

28/04/2012
A Batalha de Argel – Gillo Pontecorvo
Sinopse: A luta da Argélia para se tornar independente da França é
narrada pela trajetória de Ali, líder da Frente Algeriana de Libertação
Nacional (FLN), desde o momento em que ele se une à organização, quando
ainda era um pequeno ladrão, até sua captura, juntamente com os últimos
líderes do movimento, e por fim a execução de todos pelo governo francês.
Construído com um suspense crescente, o filme conta em paralelo a guerra
dos rebeldes, fundada em métodos não convencionais, e as medidas cada
vez mais extremas tomadas pela França. Banido por muitos anos na França
e proibido no Brasil na época da ditadura militar.
Duração: 177 minutos

12/05/2012
Jom, ou a História de um Povo – Ababacar Samb-Makharam.
Sinopse: Uma greve de operários estoura numa fábrica. Dois grupos
envolvidos na revolta divergem quanto ao rumo político a ser tomado. A
partir deste enredo, o filme apresenta a história de personagens que
resistiram a diversos gêneros de opressão, entre eles, um líder africano
que se recusou a obedecer aos primeiros colonizadores.
Duração: 73 minutos

26/05/2012
Xala- Ousmane Sembène
Sinopse: É a aurora da independência de Senegal, mas os cidadãos
que celebram nas ruas logo descobrem que pouco mais do que os rostos no
poder mudaram. Dinheiro dos brancos ainda controla o governo. Um
oficial, Aboucader Beye, conhecido como “El Hadji”, se aproveita desse
dinheiro para se casar com uma terceira esposa, para tristeza de suas duas
primeiras esposas e ressentimento de sua filha nacionalista. Mas ele
descobre em sua noite de núpcias que foi afetado pela xala, um feitiço de
impotência. El Hadji passa por situações cômicas para encontrar a causa e
remover a xala, resultando em um final satírico mordaz.
Duração: 123 minutos.

16/06/2012
Drum – Gritos de revolta – Zola Maseko
Sinopse: Drum é um filme sobre a vida de Henry Nxumalo,
jornalista de investigação famoso nos anos 50 em Sophiatown, bairro
símbolo da resistência cultural em Johanesburgo. Ele trabalha em uma
revista negra da moda, Drum, verdadeira arma de mídia na época. Durante
esta época, toda uma geração de autores, críticos, músicos e jornalistas
exigentes sul-africanos surgiu e se expressou nessa resistência. Henry
Nxumalo arriscou a vida denunciando as condições de tratamento dos
negros que viveram e trabalharam durante os anos de segregação, apesar
do assédio constante por parte das autoridades.
Duração:94 minutos

23/06/2012
Contrato –Guenny Pires
Sinopse: O filme explora aspectos pouco conhecidos, e quase
sempre desprezados pelas escolas e pela mídia, da história e da cultura da
diáspora africana. Rodado em Cabo Verde, São Tomé e Príncipe, Portugal e
Estados Unidos, Contrato aborda a ligação profunda de dois países
africanos (Cabo Verde e São Tomé e Príncipe) com uma história comum de
pobreza e de escravidão, e de duas pessoas unidas para sempre pelos laços
inquebrantáveis de família e amor.
Duração:77 minutos

Enviado por:
Rosane A. Rubert
Profa. Departamento de Antropologia e Arqueologia
Instituto de Ciências Humanas – UFPel

18
Mar

Grupo de Estudos Sobre Inserção de Afrodescendentes no Pós-abolição

Estão abertas as inscrições para o grupo de estudos que iniciará dia 02/04, com a temática “A pós-abolição como problemática acadêmica”.

É uma atividade planejada e operacionalizada pelo Núcleo de Estudos Afroamericanos, vinculado ao Departamento de Antropologia e Arqueologia do ICH. O objetivo do Grupo é proporcionar um espaço qualificado sobre a temática à comunidade acadêmica e local.

Segue o cartaz em anexo.

Att.

Rosane A. Rubert
Profa. Departamento de Antropologia e Arqueologia
Instituto de Ciências Humanas – UFPel

17
Mar

Políticas públicas e ensino superior: Perspectivas dos núcleos de estudos afro-brasileiros e indígenas.

A programação geral pode ser visualizada no cartaz.

Informações e inscrições: Faculdade de Educação, FaE, sala 235
Fone: (53) 3284-5533, ramal 220

Enviado por: Maria Heloisa Martins
Discente Bacharelado em Antropologia – UFPel

23
Nov

Dr. Carlos Moore no Ciclo de Conversas da Biblioteca Negra de Pelotas

“Africanidades e Pensamento Negro: repensando o conceito de Négritude no contexto brasileiro do ensino de História da África e das Culturas Africanas e da Diáspora Negra”

O Clube Cultura Fica Ahí a Biblioteca Negra de Pelotas com apoio da Secretaria Muncipal de Pelotas e Universidade de Pelotas trazem a Pelotas Professor Dr Carlos Moore para falar sobre Africanidades e Pensamento Negro repensando o conceito de Negritude no contexto brasileiro do ensino da Africa e das Culturas Africanas e da Diaspora Negra.

A Palestra será nesta sexta feira dia 25 de novembor as 19:00 horas na sede social do Clube que fica na rua Marechal Deodoro nº368 fazendo parte da VIIIª Semana da Consciência Negra do Clube Fica Ahí em Pelotas. (Saiba mais aqui)

Enviado por: Rubinei Silva Machado
telefone: 53 – 84286947 (OI)
53  84543933 (TIM)
email: rubinei53@gmail.com

10
Nov

Acontecerá na Biblioteca Pública Pelotense

11 de novembro, de 2011 às 19h30

Lançamento do Livro: “Os Baobás do Fim do Mundo” –
Trechos líricos de uma etnografia com religiões de matriz africana no sul do Rio Grande do Sul
Autores: Marília Floôr Kosby e Zé Darci

capa_baobas_

O evento: Mesa com os autores e o antropólogo Edgar Barbosa Neto. Exposição de telas do artista plástico Zé Darci. Música com Ricardo Petrucci e Julinho do Cavaco.

A obra: “Os Baobás do Fim do Mundo” é uma coletânea de poemas extraídos dos diários de campo da antropóloga Marília Kosby, escritos durante seu mestrado acadêmico.

Os três capítulos em que o livro se divide marcam a passagem de diferentes momentos da experiência etnográfica da autora, trazendo textos que expressam como foi sendo elaborado o conhecimento a respeito do modo de viver junto às casas de religião com os quais estudou.

Os capítulos são ilustrados com reproduções fotográficas de pinturas do artista plástico Zé Darci, integrante do Grupo de Artistas Quilombos Urbanos, de Pelotas. Além disso, o livro possui um glossário alfabeticamente organizado para as palavras sinalizadas em itálico, com descrições etnográficas e bibliográficas sobre termos relacionados à liturgia afro-brasileira e à experiência afrodescendente no continente americano.

Antes e além de tudo, portanto, este livro é uma forma de retorno ao pessoal “de religião”, que encarregou sua autora de “levar a beleza de suas religiões para fora dos muros das terreiras”.

A obra foi publicada pela Editora Novitas, e está à venda no site http://www.editoranovitas.com.br/component/content/article/1-interna/126-pre-venda-os-baobas-do-fim-do-mundo.

Em breve, à venda também na Livraria Vanguarda.

7
Nov

Raízes Africanas: a negritude na identidade brasileira

Cartaz Raizes

Veja toda a programação clicando aqui.

Enviado pelo prof. Dr. Gianpaolo Adomilli
Coordenador NECO – Núcleo de Estudos sobre Populações Costeiras e Saberes Tradicionais/FURG