Categoria ‘Eventos’ Antropologia

26
Jul

Encontro Internacional de Antropologia Marítimo-Costeira e Educação Ambiental – FURG /Rio Grande/RS

Data: 10, e 11 de Agosto de 2016
Local: Campus Carreiros – FURG.

Nas regiões costeiras encontra-se uma diversidade de grupos humanos que vivem em contextos socioambientais singulares. Estes vêm conhecendo questionamentos em face de outras complexidades sociais, como a questão ambiental, as políticas relacionadas à pesca e à educação, o desenvolvimento de vários modelos de turismo, as demandas globais e de transformações industriais. O acesso a diversas experiências de pesquisa nos elucidam sobre as práticas econômicas, sociais e simbólicas singulares a essas populações em seus contextos particulares. Neste encontro, buscaremos apresentar estudos e refletir acerca do estado atual de pesquisas sobre o tema, principalmente nas áreas de Antropologia e Educação Ambiental, suas interfaces e tudo o que envolve o modo de vida ligado às práticas de educação, trabalho e percepção nos ambientes marítimo-costeiros.

Inscrições: http://sinsc.furg.br/detalheseventos/443

Programação:

Quarta-feira, 10/08. 19h-21h. Sala 3104
Conferencia de abertura com o Prof.Daniel Quiroz (Universidad de Chile)
– Antropología, arqueología y medio ambiente: interfaces y trayectoria de investigación.

Quinta-feira, 11/08. 9h-12h. Sala 4115
Mesa 01 – “Conflitos, Territorialidades Costeiras e Gestão Ambiental”
Profa. Leticia D’ ambrosio (CURE-UDELAR),
Prof. Carlos Machado (FURG), Profa. Lucia Anello (FURG). Mediação: Profa. Adriana Fraga da Silva (FURG)

14 h – 17h. Sala 4110
Mesa 02 – “Imagens, Saberes Costeiros e Educação Ambiental”
Prof. Gastón Carreño (CEAVI),
Prof.Martin Cesar Tempass(FURG), Prof. Gianpaolo Adomilli (FURG).
Mediação Profa. Cassiane Paixão (FURG).

17h-18:30. Sala 3108
Roda de conversa: Antropologia e Educação Ambiental: diálogo, interface e pesquisas

19h – 21h. Sala 3108
Conferencia de encerramento com o Prof. Gabriel Noel (IDAES – UNSAM) -“Las Disputas Territoriales en Clave Moral : la Antropología de las Moralidades y el Análisis de la Conflictividad Política”.

Realização: NECO – Núcleo de Estudos sobre Populações Costeiras e Saberes Tradicionais – FURG

11
Nov

Povos Indígenas e Comunidades Locais nos Diagnósticos do Painel da Biodiversidade

O Intergovernmental Platform on Biodiversity and Ecosystem Services (IPBES) realiza nos dias 12 e 16 de novembro, no IEA, o seminário Povos Indígenas e Comunidades Locais nos Diagnósticos do Painel da Biodiversidade. Veja os horários na programação abaixo.

O objetivo é garantir a participação dos povos indígenas e das comunidades locais nos diagnósticos realizados pela IPBES no Brasil. O evento é restrito a convidados, mas o público poderá acompanhar as exposições ao vivo pela internet no endereço: www.iea.usp.br/aovivo

A coordenação do seminário é da antropóloga Manuela Carneiro da Cunha, professora da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP e da University of Chicago, nos Estados Unidos. Os expositores serão os autores dos diagnósticos. Graças ao encontro, eles poderão ter acesso a informações, experiências e fontes que lhes permitam levar  em consideração adequadamente (em seus trabalhos) a visão e as práticas indígenas e das comunidades locais, bem como as políticas que afetam a biodiversidade dos territórios dessas populações.

Entre os temas a serem apresentados estão: o valor, o uso e a importância da biodiversidade e do território; conhecimento e uso sustentável da biodiversidade: paisagens, fauna, história natural, calendários; agrobiodiversidade; agricultura tradicional e fogo; a floresta antropogênica: arqueologia e história ecológica da biodiversidade brasileira; populações tradicionais e desmatamento; hidrelétricas grandes e pequenas;  madeireiras e mineradoras; Código Florestal e Convenção 169 da OIT.

PROGRAMAÇÃO

12 de novembro – Primeira Sessão

10h    Bem Viver no Alto Rio Negro — Conhecimentos e Práticas
André Baniwa (presidente da Oibi)
10h45    O Bem Viver no Parque Indígena do Xingu
Paulo Junqueira (Instituto Socioambiental)
11h30    Intervalo
11h45    A Floresta Antropogênica: Arqueologia e História Ecológica da Biodiversidade Brasileira
Eduardo Góes Neves (MAE-USP)
12h30    Agrobiodiversidade e Povos Tradicionais
Manuela Carneiro da Cunha (FFLCH-USP e University of Chicago, EUA)
13h15    Intervalo
14h30    Hidrelétricas, Povos tradicionais e Biodiversidade
Sonia Magalhães (UFPA)
15h15    Um Caso: Oriximiná
Lúcia Andrada (CPI-SP)
16h    Pressões Desenvolvimentistas e Áreas Indígenas: o RAISG
Carlos Alberto Ricardo (Instituto Socioambiental)
16 de novembro — 2ª Sessão

9h30    Bem Viver de um Povo sem Agricultura: Os Awá Guajá
Uirá Garcia (Unifesp)
10h15    Biodiversidade e Saúde dos Povos Indígenas
Carlos Coimbra (Fiocruz)
11h30    Intervalo
11h15    Populações Tradicionais e Proteção de Unidades de Conservação: O Caso da Terra do Meio
Juan Doblas (ISA)
12h    Fogo como Manejo no Cerrado: O caso Xavante
James Welch (Fiocruz)
12h45    Almoço
14h15    Território e os Wayampi do Amapá
Dominique Gallois e Joana Oliveira (USP e Instituto Iepé)
15h    Recuperação de Terras Degradadas em Áreas Indígenas Amazônicas
Marcus Schmidt (ISA)
15h45    Intervalo
16h    O PNGATI
Maira Smith (FUNAI)
16h45    Governança dos Commons: Pescadores Artesanais
Cristiana Seixas (Unicamp)
Povos Indígenas e Comunidades Locais nos Diagnósticos do Painel da Biodiversidade
12 de novembro e 16 de novembro, das 9h30 às 17h30

Participação presencial exclusiva para convidados — O público poderá acompanhar  a transmissão ao vivo pela internet
Informações: com Marisa Macedo (marmac@usp.br), telefone (11) 3091-8677
Página do evento: http://www.iea.usp.br/eventos/ipbes-povos-indigenas

21
Oct

Encontro sobre imagens e saberes costeiros

Prezad@s,

Convidamos a tod@s para assistirem a Mesa Redonda intitulada “Imagens e Saberes Costeiros”, dia 06/11, das 14h30min às 18h, no Auditório da SEAD – Campus Carreiros – FURG – Rio Grande/RS, é  organizada pelo NECO – Núcleo de Estudos sobre Populações Costeiras e Saberes Tradicionais – FURG.

Contará com a participação de Ana Elisa de Castro Freitas (UFPR), Mártin César Tempass (FURG) e Eduardo Harder (UFPR).

Inscrições: http://sinsc.furg.br as vagas são limitadas.

mesa-redonda-imagens-saberes-costeiros

mesa-redonda-imagens-saberes-costeiros1

Att,

Dr. Gianpaolo Knoller Adomilli
Universidade Federal do Rio Grande – FURG
Bacharelado em Arqueologia/ICHI
Programa de Pós Graduação em Educação Ambiental
Núcleo de Estudos sobre Populações Costeiras e Saberes Tradicionais
https://necofurg.wordpress.com/

10
Dec

Convite Café Arqueológico

A equipe do LEPAARQ tem o prazer de convida-los para a IXª edição do Café Arqueológico a ser realizado no dia 20 de dezembro de 2012, às 15h, nas dependências do LEPAARQ. A palestra será ministrada pela Profa. Me. Priscilla Ferreira Ulguim, cujo título de seu trabalho é: “Cremações nas Terras Altas do Sul do Brasil: Um Estudo de Caso em Ambos os Lados do Rio Pelotas”.

Priscilla Ulguim graduou-se em Licenciatura Plena em História pela Universidade Federal de Pelotas no ano de 2010, especializando-se em Arqueologia, mais especificamente em Zooarqueologia, direcionando sua pesquisa de conclusão de curso para a análise de vestígios ictiofaunísticos de Cerritos do sul do Brasil. Após a conclusão de seus estudos de graduação no ano de 2010, passou a integrar a equipe do projeto arqueológico internacional, “Sacred Places and Funerary Rites: The Longue Durée of Southern Jê Monumental Landscapes” (Lugares Sagrados e Ritos Funerários: A Longue Durée de Paisagens Monumentais dos Jê do Sul). Iniciando assim seu mestrado em Bioarqueologia na Universidade de Exeter, Reino Unido como bolsista pela Wenner Gren Foundation. Em seu trabalho de dissertação (2012), o qual centrou-se na análise de vestígios humanos cremados, a pesquisadora buscou combinar diferentes métodos de análise, tais como a aplicação de RGB, com o intuito de desenvolver inferências mais acuradas acerca das temperaturas de queima. Outros interesses de pesquisa e atuações incluem projetos e publicações relacionados a Arqueologia Guarani, Ichthyoarqueologia, bem como Metodologia em Zooarqueologia. No momento atua como membro nas seguintes instituições: CBA: Council of British Archaeology; ICAZ: International Council of Archaeozoology; BABAO: British Association for Biological Anthropology and Osteoarchaeology; Alfred Russel Wallace Correspondence Project – Natural History Museum, assim como pesquisadora associada do LEPAARQ/UFPel: Laboratório de Ensino e Pesquisa em Antropologia e Arqueologia da Universidade Federal de Pelotas.

Resumo da palestra: A presente palestra tem por finalidade expor os resultados e interpretações referentes a vestígios humanos osteológicos cremados, oriundos de montículos presentes em estruturas anelares, conhecidas popularmente como danceiros. Tais estruturas arqueológicas encontram-se amplamente distribuídas e localizadas nas terras altas do sul do Brasil. No que concernem os diferentes aspectos interpretativos, serão abordadas questões relativas ao processo de cremação, contexto funerário e estado de saúde dos indivíduos. Especificamente, os vestígios analisados são provenientes das escavações de três sítios localizados ao longo do Rio Pelotas, divisa dos Estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina: RS-PE-21, RS-PE-29 e SC-AG-108, datados entre os séculos XV e XVII AD. As evidencias, as quais formam a base de tais inferências interpretativas, são resultantes da aplicação de diferentes técnicas e metodologias, incluindo a análise de mudanças ósseas de nível secundário, consideração dos contextos arqueológicos e registros etnohistóricos.

Compareçam, prestigiem!

Dr. Rafael Guedes Milheira
Universidade Federal de Pelotas
Bacharelado em Antropologia/Arqueologia
Programa de Pós-graduação em Antropologia – UFPEL
Programa de Pós-graduação em Patrimônio Cultural – UFSM
Coordenador do Laboratório de Antropologia e Arqueologia (LEPAARQ – UFPel)

20
Nov

I Encontro de Antropologia das Populações Costeiras e Saberes Tradicionais

Convidamos a todos para o I Encontro de Antropologia das Populações Costeiras e Saberes Tradicionais e lançamento do livro “Águas da Coréia: uma viagem ao centro do mundo numa perspectiva etnooceanográfica”, a ser realizado nos dias 29 e 30/11/2012 na FURG. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas no dia do evento.

Enviado pelo Prof. Dr. Gianpaolo Adomilli
Coordenador do NECO/FURG
www.necofurg.wordpress.com

14
Sep

WORKSHOP INSUMOS PARA AGRICULTURA SUSTENTÁVEL – EMBRAPA Pelotas/RS

insumos-agricultura-sustentavel

A crescente demanda por alimentos, biocombustíveis e fibras reforça a importância da agricultura brasileira no cenário mundial. Contudo, a produção agrícola depende da oferta de insumos, os quais, em sua maioria são importados. Isso fragiliza o posicionamento do Brasil em relação à sustentabilidade de sua produção agrícola e colocam um desafio na prospecção de soluções alternativas neste setor. Neste contexto, a Embrapa Clima Temperado, desde 2004, vem qualificando e ampliando a geração de conhecimentos e a disponibilização de tecnologias com ênfase ao desenvolvimento de novos insumos para a agricultura a partir do aproveitamento de resíduos e coprodutos de processos agroindustriais e da mineração.
A Embrapa Clima Temperado, reconhecendo a importância estratégica do tema e, considerando os recentes avanços de conhecimento nesta temática obtidos por diversos grupos de pesquisa e instituições, organiza o “Workshop Insumos para Agricultura Sustentável”, a ser realizado entre os dias 27 a 29 de novembro de 2012.
O referido evento reunirá cientistas, produtores, empresários, professores, acadêmicos, especialistas na área e autoridades para apresentar e discutir resultados de pesquisa e extensão, aspectos tecnológicos, industriais, mercadológicos e políticos relacionados à diversificação da matriz de oferta de matérias-primas e processos tecnológicos para a cadeia de produção de insumos.

Data: 27 a 29 de novembro de 2012.
Local: Embrapa Clima Temperado, Pelotas/RS

Faça já a sua incrição, pois as vagas estão limitadas.

Acesse o site da Embrapa para obter mais informações: http://www.cpact.embrapa.br/eventos/2012/workshop_insumos/index.php

13
Apr

II Fórum Internacional da Temática Indígena

De 14 a 16 de maio acontecerá o II Fórum Internacional da Temática Indígena, o evento ocorrerá na cidade de Pelotas, localizada ao Sul do Rio Grande do Sul, Brasil. O II Fórum constitui-se em evento acadêmico, inaugural do Mestrado em Antropologia (PPGA) da Universidade Federal de Pelotas.
Mais informações acesse o site do evento:
http://www.foruminternacionaldatematicaindigena.antropologiaufpel.com.br

8
Mar

GT-22: SOCIOANTROPOLOGIA MARÍTIMA E PESQUEIRA NO NORTE E NORDESTE

Envio de resumos até 16/3/2012 pelo site http://www.sistemasmart.com.br/ciso2012/

Nas últimas décadas, houve um expressivo aumento de estudos acadêmicos sobre o universo da pesca artesanal no Brasil, abordando temáticas diversas e elaborando, para isso, novas teorias e metodologias, seja na área da socioantropologia marítima e pesqueira, seja em outros campos de conhecimento (etnobiologia, geografia, ecologia humana, economia, história, etc.), que alimentaram também o debate da socioantropologia marítima e pesqueira.

Nesse sentido, o objetivo do presente GT é, por um lado, permitir o encontro, debate e discussão sobre as diversas expressões societárias de diálogos humanos com os recursos naturais aquáticos (ribeirinhos, marinhos, estuarinos, lagos, lagoas, açudes, etc.), a partir das plurais formas de apropriações realizadas por pescadores e pescadoras artesanais, ações de resistências populares em defesa de seus territórios e os impactos e processos socioambientais que afetam tal população, como as atividades de lazer e turismo, políticas públicas, expansão de empreendimentos privados (aquicultura) e/ou estatais (portos e hidroelétricas), por exemplo; e, por outro lado, visa também promover e incentivar o diálogo e a interação entre diferentes campos do conhecimento, permitindo, assim, tratar problemas multidimensionais de forma interdisciplinar, embora seja conferindo maior ênfase aos temas ligados à socioantropologia marítima e pesqueira sem negar o acolhimento de pesquisas de outras áreas do saber.

Justificativa: Recentemente, novas categorias científicas e políticas emergiram com vistas a dar conta desses novos contextos de apropriações, conflitos e dinâmicas societárias.  Sendo assim, a nossa proposta centra-se na possibilidade de discutir as implicações das novas categorias, pensando-as em relação às diversas populações pesqueiras tradicionais (litorâneas e ribeirinhas), seus critérios patrimoniais de sustentabilidade, formas múltiplas de trabalho e os impactos sobre seus complexos culturais e processos societários.

Cristiano Wellington Noberto Ramalho
Professor de Sociologia – Adjunto I
Departamento de Ciências Sociais (DCS)
Grupo de Estudos Mares, Ambientes e Ruralidades (GEMARES)
Núcleo de Pós-Graduação e Pesquisa em Antropologia (NPPA)

Universidade Federal de Sergipe (UFS)
Fone: (79) 2105.6750 – DCS/UFS