Categoria ‘Filmes’ Antropologia

1
Aug

Filme: A ilha do medo, de Scorsese

O Ciclo “A Filosofia e o Cinema Psicológico” exibirá, na próxima sexta-feira (dia 10 de agosto), o filme “A ilha do medo”, de Martin Scorsese. Cineasta norte-americano, Scorsese (1942-) é autor de obras cinematográficas como “Taxi Driver” e “A última tentação de Cristo”. O Ciclo, promovido pelo Departamento de Filosofia da UFPel, sob a coordenação do professor dr. Luís Rubira, ocorre todas as sextas às 20h, no Centro de Integração do Mercosul em Pelotas/RS. A entrada é FRANCA (retire sua senha no local, em horário comercial).

A programação completa do CICLO está disponível na página da UFPel:
http://ccs.ufpel.edu.br/wp/2012/03/16/ciclo-de-cinema-e-filosofia-divulga-programacao-para-2012/

– A ILHA DO MEDO
Shutter Island , 2010, EUA. Direção: Martin Scorsese.
Com: Leonardo DiCaprio, Mark Ruffalo, Max Von Sydow.

Sinopse: No ano de 1954, dois agentes federais desembarcam numa ilha próxima de Boston para investigar o desaparecimento de uma doente mental. No hospital psiquiátrico, os agentes Edward Daniels (Teddy) e Chuck Aule não têm acesso aos arquivos, que lhes é negado pelo chefe dos psiquiatras. Seguindo pistas, Teddy começa a suspeitar que em Shutter Island os pacientes são vitimas de um uso excessivo de psicotrópicos e de lobotomia. Baseado na obra do escritor Dennis Lehane, o filme percorre a realidade e a face insuportável do trauma psicológico. (138 min)

Enviado por: Rafael Gonçalves da Silveira
Discente  Licenciatura em Ciências Sociais/UFPel

Filed under: Filmes, Filosofia
19
Apr

II Mostra de Filmes Etnográficos: Olhar, Escutar e Sentir a Sabedoria Ameríndia

A II Mostra de Filmes Etnográficos: Olhar, Escutar e Sentir a Sabedoria Ameríndia se insere no rol de atividades do II Fórum Internacional da Temática Indígena, que contará com a participação efetiva de docentes e discentes do Núcleo de Etnologia Ameríndia (NETA), vinculado ao Bacharelado em Antropologia do Instituto de Ciências Humanas da UFPel. Visa propiciar a participação de um público mais amplo na discussão de algumas temáticas, promovendo, desta maneira, uma sensibilização em relação às culturas e aos direitos dos povos indígenas no Brasil.

Esta atividade, como um projeto em parceria NETA – LEPPAIS busca discutir a produção de filmes no contexto da etnografia ameríndia, para construir uma forma de pensar criticamente as imagens produzidas e veiculadas na mídia sobre as culturas indígenas.

Esta edição da Mostra de Filmes etnográficos desenvolverá discussões teóricas e metodológicas ligadas às áreas de Etnologia Ameríndia, Arqueologia, História, Educação e Ecologia dos coletivos ameríndios Mbyá Guarani, Kaingang, Tariano e Tukano. A partir dos filmes selecionados, serão debatidos temas significativos ligados a estes coletivos ameríndios, tais como: alteridade, relações interétnicas, educação indígena, mitologia, ritual, cosmologia, cultura material e patrimônio cultural.

Programa:

1o. Dia – 14/05/2012 (segunda-feira) – das 12h às 14h
Abertura: Profa. Dra. Cláudia Turra Magni – LEPPAIS e Profa. Dra Lori Altmann – NETA
Tema: Interculturalidade e educação
Etnia: Mbyá Guarani
Debatedora: Profa. Dra. Maria Aparecida Bergamaschi – Educação/UFRGS.
Filme: “Mokoi Tekoá Petei Jeguatá – Duas aldeias, uma caminhada”.
Direção: Beñites, Germano; Ortega, Ariel e Morinico, Jorge.
Duração: 65 min

2o. Dia (terça-feira) – 15/05/2012 – das 12h às 14h
Temática: Cosmologia e ritual
Etnia: Kaingang
Debatedor: Prof. Dr. José Otávio Catafesto de Souza – Antropologia e Arqueologia/UFRGS
Filme: Ritual do Kiki.
Diretor: ROSA, Rogério Reus Gonçalves da; Diehl, Eliana; Almeida, Ledson Kurtz de; Oliveira, Maria Conceição de.
Duração: 31 min
Ano: 1995

3o. Dia (quarta-feira) – 16/05/2012 – das 12h às 14h
Temática: Patrimônio e cultura material
Debatedora: Profa. Dra. Loredana Marise Ricardo Ribeiro – Arqueologia/UFPel.
Filme: “A Cachoeira Sagrada de Iauaretê (ou cachoeira das onças)”. Lugar sagrado dos Povos Indígenas dos rios Uaupés e Papuri (AM).
Etnia: Tariano e Tukano.
Direção: Vincent Careli
Realização: Vídeo nas Aldeias, IPHAN e Ministério da Cultura. “Bens Culturais Registrados” – vol. 2, Registrada como patrimônio cultural do Brasil em 10/08/2006. Inscrito no Livro de Registro dos Lugares.
Duração: 12 min. e 10 seg.
Ano: 2006.

Coordenadora: Prof. Dra. Lori Altmann
Docentes Colaboradores/as: Prof. Dr. Martin Cesar Tempass; Profa. Dra. Loredana Marise Ricardo Ribeiro; Profa. Dra. Claudia Turra Magni; Profa. Dra. Maria Aparecida Bergamaschi; Prof. Dr. José Otávio Catafesto de Souza; Prof. Ms. Rojane Brum Nunes.

Discentes colaboradores: Maria Heloisa Martins da Rosa; Alessandro Barbosa Lopes; Thais Mendes Pedrotti: Suéllen de Medeiros Cortes; Roberta Xavier Gonçalves.

Vagas limitadas!

Reserva de vaga através do e-mail: Mostra de Filmes Etnográficos mostraetnografica@hotmail.com, com Thais Mendes Pedrotti

11
Apr

I Ciclo de Cinema Sobre o Continente Africano

cinema-africano

O Núclo de Ensino AfroAmericanos(NEAAM) apresenta o I Ciclo de Cinema Sobre o Continente Africano.
O evento se propõe à exibição quinzenal, durante o primeiro semestre de 2012, de filmes e documentários que têm por tema a história e cultura africanas, e que são produzidos por diretores africanos. As exibições serão seguidas de debates provocados por comentaristas previamente convidados.

As exibições acontecerão no Auditório da Faculdade de Direito, as 14horas.

As inscrições devem ser feitas atráves do e-mail: nucleoestudosafro@gmail.com

Programação:
4/04/2012 Angano… Angano… Contos de Madagascar – César Paes
Sinopse: Angano… Angano… Contos de Madagascar (“Angano”
significa “história”) mostra a cultura viva do povo malgaxe (de
Madagascar), que resistiu, desde a independência formal em 1960, a um
regime neocolonialista, um governo autárquico de esquerda e dificuldades
econômicas que se mesclam com depredação ecológica. As histórias são
contadas através das vozes de diversos narradores, homens e mulheres.
Duração: 63 minutos

28/04/2012
A Batalha de Argel – Gillo Pontecorvo
Sinopse: A luta da Argélia para se tornar independente da França é
narrada pela trajetória de Ali, líder da Frente Algeriana de Libertação
Nacional (FLN), desde o momento em que ele se une à organização, quando
ainda era um pequeno ladrão, até sua captura, juntamente com os últimos
líderes do movimento, e por fim a execução de todos pelo governo francês.
Construído com um suspense crescente, o filme conta em paralelo a guerra
dos rebeldes, fundada em métodos não convencionais, e as medidas cada
vez mais extremas tomadas pela França. Banido por muitos anos na França
e proibido no Brasil na época da ditadura militar.
Duração: 177 minutos

12/05/2012
Jom, ou a História de um Povo – Ababacar Samb-Makharam.
Sinopse: Uma greve de operários estoura numa fábrica. Dois grupos
envolvidos na revolta divergem quanto ao rumo político a ser tomado. A
partir deste enredo, o filme apresenta a história de personagens que
resistiram a diversos gêneros de opressão, entre eles, um líder africano
que se recusou a obedecer aos primeiros colonizadores.
Duração: 73 minutos

26/05/2012
Xala- Ousmane Sembène
Sinopse: É a aurora da independência de Senegal, mas os cidadãos
que celebram nas ruas logo descobrem que pouco mais do que os rostos no
poder mudaram. Dinheiro dos brancos ainda controla o governo. Um
oficial, Aboucader Beye, conhecido como “El Hadji”, se aproveita desse
dinheiro para se casar com uma terceira esposa, para tristeza de suas duas
primeiras esposas e ressentimento de sua filha nacionalista. Mas ele
descobre em sua noite de núpcias que foi afetado pela xala, um feitiço de
impotência. El Hadji passa por situações cômicas para encontrar a causa e
remover a xala, resultando em um final satírico mordaz.
Duração: 123 minutos.

16/06/2012
Drum – Gritos de revolta – Zola Maseko
Sinopse: Drum é um filme sobre a vida de Henry Nxumalo,
jornalista de investigação famoso nos anos 50 em Sophiatown, bairro
símbolo da resistência cultural em Johanesburgo. Ele trabalha em uma
revista negra da moda, Drum, verdadeira arma de mídia na época. Durante
esta época, toda uma geração de autores, críticos, músicos e jornalistas
exigentes sul-africanos surgiu e se expressou nessa resistência. Henry
Nxumalo arriscou a vida denunciando as condições de tratamento dos
negros que viveram e trabalharam durante os anos de segregação, apesar
do assédio constante por parte das autoridades.
Duração:94 minutos

23/06/2012
Contrato –Guenny Pires
Sinopse: O filme explora aspectos pouco conhecidos, e quase
sempre desprezados pelas escolas e pela mídia, da história e da cultura da
diáspora africana. Rodado em Cabo Verde, São Tomé e Príncipe, Portugal e
Estados Unidos, Contrato aborda a ligação profunda de dois países
africanos (Cabo Verde e São Tomé e Príncipe) com uma história comum de
pobreza e de escravidão, e de duas pessoas unidas para sempre pelos laços
inquebrantáveis de família e amor.
Duração:77 minutos

Enviado por:
Rosane A. Rubert
Profa. Departamento de Antropologia e Arqueologia
Instituto de Ciências Humanas – UFPel

14
Mar

Ciclo “A Filosofia e o Cinema Psicológico” divulga programação de 23 de março a 7 de dezembro

O III Ciclo de Cinema do Departamento de Filosofia da UFPel, cujo tema é “A Filosofia e o Cinema Psicológico”, começará no dia 23 de março. Ao longo do ano de 2012, serão exibidas 30 obras cinematográficas, divididas em dois blocos temáticos: I – A sociedade e o indivíduo; II – O indivíduo e a sociedade. Como de costume, as sinopses de cada filme foram elaboradas de modo a fornecer tanto uma apresentação da obra quanto para direcionar o debate, que ocorre após as sessões.

O Ciclo, dedicado pelo reitor Antonio Cesar Borges aos alunos do recém-implementado Curso de Psicologia da UFPel, percorrerá  os grandes temas da psicologia, tais como loucura, depressão, neurose, psicose, condicionamento, arquétipo, sexualidade, histeria, inconsciente, esquizofrenia, bipolaridade, projeção, compulsão, delírio, medo, fobia, paranoia.

Projeto de Extensão sob a coordenação do professor dr. Luís Rubira, o Ciclo ocorrerá todas as sextas-feiras, às 20h, no Centro de Integração do Mercosul. As senhas para assistir o filme devem ser retiradas no dia da sessão, em horário comercial, na secretaria do Centro de Integração do Mercosul (rua Andrade Neves, 1529). A entrada é franca.

Enviado por: Alessandro Lopes
Discente Bacharelado em Antropologia – UFPel

22
Dec

Bicicletas de Nhanderú

Por: Cátia Simone da Silva

bicicleta
É um documentário que entra na cosmologia, no modo de viver e pensar dos mbya-guarani da Aldeia Tekoa Koénju, localizada nas Missões do Rio Grande do Sul, no Brasil. Precisamente em São Miguel, cidade que faz parte dos Sete Povos das Missões. Onde através do projeto Vídeo nas Aldeias, Ariel Ortega, cineasta e cacique indígena produziu o documentário intitulado “Bicicletas dos Deuses”.

Em 2010 estive visitando esta região com um projeto de extensão de ensino da UFPel/RS,  onde eu, alguns colegas e professores, podemos conhecer dois sítios arqueológicos, as ruínas de São João Batista e a de São Miguel Arcanjo, além da Aldeia Tekoa Koénju. Caso queiram saber mais sobre estas visitas, acessem o meu diário de campo da viagem a São Miguel das Missões.

Na história de vida dos mbyas apresentada no vídeo, com narrativas mitológicas, podemos notar discursos com a necessidade de protegerem-se dos brancos desde de criança, os conflitos com a territorialidade, e conversas de homens com deuses salientando-se a elevada espiritualidade dos mbyas. Onde os  célebres textos de Levi-Strauss, “Mito e Significado”, “Antropologia Estrutural Dois”, “O Cru e o Cozido”,  nos dão os conceitos pertinentes para podermos entender este modo especial de ver o mundo, tão próprio dos ameríndios e outros povos tradicionais.

Além destes traços marcantes das culturas indígenas, onde encontramos as narrativas mitológicas evocando deuses para entender os fenômenos da natureza, como o mito do início do filme onde Tupã, Deus guarani criou tudo que existe no mundo apartir de uma unidade. Também podemos perceber a importância do sentido coletivo, as relações de parentesco, afinidade e reciprocidade explícitas nos comportamentos e também os conflitos de territorialidade ficam evidentes, narrados pelos meninos mbyas.

Para o Karaí, talvez nenhum guarani tenha alcançado a Terra Sem Males, porque é muito difícil um ser humano não ter imperfeições e que “cada pessoa é como uma bicicleta dos deuses”, porque ele diz que os espíritos bons lançam pensamentos e então as palavras são pronunciadas sem que a pessoa perceba.

A cultura material pode ser percebida nas construções das casas, nos artesanatos decorativos e ornamentais entre eles temos as cestas para colocar roupa, confeccionada com a lâmina da taquara, além de colares e pulseiras produzidas com sementes.

Entre outras heranças culturais dos mbyas-guaranis podemos encontrar a confecção de violinos, um dos instrumentos musicais utilizados pelos mbyas, também a arte do entalhe em madeira entre outras, que segundo Arnaldo Bruxel, foram aptidões produzidas nas reduções jesuíticas, então podemos verificar que os saberes tradicionais foram transmitidos por gerações, manifestam-se nos dias atuais, sendo uma herança cultural guarani-missioneira.

Para você ver o filme na íntegra clique no link abaixo:
http://lugardoreal.com/video/bicicletas-de-nhanderu/

Vídeo enviado pelo Prof. Dr. Rogério Réus
Coordenador do NETA/Núcleo de Etnologia Ameríndia/UFPel
Vice-Coordenador do NECO/Núcleo de Estudos sobre Populações Costeiras Tradicionais/FURG

11
Nov

Mostra de filmes etnográficos – Olhar, escutar e sentir a sabedoria ameríndia

Mostra de filmes etnográficos

As inscrições para a mostra começarão a partir de amanhã (27/10) e se estenderão até a data de início da mesma (04/11) sendo gratuitas.

A mostra de filmes etnográficos ameríndios que está ocorrendo toda sexta-feira do mês de Novembro no auditório da FAUrb (Benjamin Constant, 1359). Peço-lhes que atentem para o seguinte detalhe: devido a imprevistos o horário de início do evento mudou para às 16h.

O e-mail para inscrições (ou dúvidas) é: mostraetnografica@hotmail.com

Enviado por:
Thais Mendes Pedrotti
Acadêmica em Antropologia – Universidade Federal de Pelotas
Bolsista de graduação
Membro do Núcleo de Etnologia Ameríndia
Pesquisadora do Inventário Nacional de Representações Culturais

21
Oct

MOSTRA DE FILMES ETNOGRÁFICOS – Olhar, Escutar e Sentir a Sabedoria Ameríndia

NÚCLEO DE ETNOLOGIA AMERÍNDIA – NETA

LABORATÓRIO DE ENSINO, PESQUISA E PRODUÇÃO EM
ANTROPOLOGIA DA IMAGEM E DO SOM –
LEPPAIS

DEPARTAMENTO DE ANTROPOLOGIA E ARQUEOLOGIA – DAA

INSTITUTO DE CIÊNCIAS HUMANAS – UFPEL

Convidam para a mostra de filmes etnográficos, que serão apresentados
Dias 4, 11 e 18/11 no Auditórios da FAUrb  – Rua Benjamim Constant, 1359
e  25/11 no ICH  – Rua Cel. Alberto Rosa, 154

Clique aqui para visualizar o cronograma

21
Feb

Trailler do filme "Lixo Extraordinário"

É do Brasil: Filmagem de Lixo extraordinário rendeu prêmios no Festival de Berlim e de Sundance.
A produção brasileira indicada ao Oscar na categoria melhor documentário estreiou em Brasília na primeira semana de fevereiro. O longa Lixo extraordinário, dirigido por Lucy Walker, João Jardim, Karen Harley, mostra como o artista plástico Vik Muniz transforma o lixo do maior aterro sanitário da América Latina em obra de arte. A atitude beneficiou os catadores de material reciclado e rendeu ao filme prêmios no Festival de Berlim e de Sundance.

Segue o linck para o trailer do filme “Lixo Extraordinário”
http://divirta-se.correioweb.com.br/trailer.htm?id=3215