19
Jan

Pisa Ligeiro – Parte 1

O vídeo demonstra que a união faz a força, “Pisa Ligeiro” é um documentário desenvolvido junto ao povo Yanomami de Roraima, ameríndios do Pará e da Amazônia. O indígena Davi Yanomami inícia o vídeo falando da importância da reprodução deste documentário para repassar as informações a outras pessoas que não conhecem como os indígenas vivem, os problemas que enfrentam para proteger e permanecer no seu território, narrou que existem brancos tomando as suas terras, queimando as suas malocas, atirando com armas de fogo. Davi, vê a propagação do documentário como uma forma positiva de divulgar a sua cultura e também como uma denúncia as dificuldades que atravessam.

Acredita que através do vídeo “os seus filhos  irão saber o que passaram os seus parentes e irão dar valor e continuar lutando pelo seu território”, pois para eles a terra é muito importante, “sem ela não terão onde morar, o que caçar, pescar, nem madeira para construir suas casas”.

Outro indígena, Slan Kaxinwa comenta que viviam com a força da terra, da floresta, dos animais, das águas, do  sol, da lua e com muito respeito e sem a destruição de nada, “a gente morria quando o tempo chegava”. Ressalta que “Os efeitos da mistura com a cultura dos brancos, trouxe muita confusão para os indígenas, passaram a usar roupas, pegar doenças, tomar remédios, tiveram que se alfabetizar, causando desta forma uma confusão no modo de viver”.

Piná També indígena do Pará, diz que “Os ameríndios sempre foram organizados desde os seus antepassados, no entanto somente agora que a sociedade está os enchergando, antes da outra maneira como viviam, não”.

Do povo organizado criaram a Assembléia do Conselho Geral da Tribo Ticuna, para melhorar a situação da educação e da saúde dos grupos ameríndios. Em 1989, criaram a COIAB com apenas 16 organizações indígenas da Amazônia, hoje são em torno de 65, para juntos poderem reconhecer a realidade de cada povo e mobilizados, reivindicarem sobre os principais eixos que norteiam todo o movimento indígena, que são as demarcações de terras, invasões de território, educação e saúde. Os povos ameríndios necessitam dos seus territórios preservados, o mesmo repercute na sua sustentabilidade, pois eles dependem diretamente dos recursos naturais para a sua sobrevivência.

Por: Cátia Simone da Silva
Discente Bacharelado em Antropologia Social UFPel