20
Feb

Resumo de ESCOLAS PSICOLÓGICAS: ESTRUTURALISMO e FUNCIONALISMO

Façamos uma distinção entre as Escolas Psicológicas do Estruturalismo e do Funcionalismo, visto que em muitos casos, ocorre uma indiferenciação entre suas funções e bases. Primeiramente iremos esclarecer alguns pontos relativos ao Estruturalismo. O ESTRUTURALISMO teve como expoente maior Titchener, discípulo de Wundt considerado o pai da Psicologia. Segundo o Estruturalismo a Psicologia é a ciência da consciência ou da mente, sendo que a última, ou seja, a mente, seria a soma total dos processos mentais. Para Titchener, cada totalidade psicológica compõe-se de elementos, sendo que a tarefa da Psicologia seria a de descobrir quais são os elementos, qual o verdadeiro conteúdo da mente e a maneira pela qual é estruturada. Titchener é adepto do paralelismo psicofísico, ou seja, distingue o físico da mente. De forma resumida, podemos dizer que os pontos centrais sugeridos por Titchener são: O OBJETO É A CONSCIÊNCIA, A RELAÇÃO MENTE X CORPO É O PARALELISMO, O MÉTODO É A INTROSPECÇÃO, EMBORA TAMBÉM DEFENDA O USO DA EXPERIMENTAÇÃO, E A QUESTÃO É DESCOBRIR ” O QUE”, ” O COMO”, E O ” POR QUE” DE SEUS ELEMENTOS. O Estruturalismo procura entender a concatenação da unidade no todo.

Falemos agora sobre o FUNCIONALISMO segundo o qual a consciência exerce uma atividade adaptativa e é também um instrumento destinado a ajustar a ação. Dito de outra forma, a consciência seria um instrumento destinado a resolução de problemas. O Funcionalismo teve William James com um de seus pioneiros.
O Funcionalismo encara a Psicologia como sendo o estudo da vida psíquica, considerada como um instrumento de adaptação ao meio. Desta forma acredito que algumas das dúvidas relativas as propostas do Estruturalismo e do Funcionalismo, possam ter sido esclarecidas.

Fonte: pt.shvoong.com/humanities/1718800-escolas-psicol%C3%B3gicas-estruturalismo-funcionalismo/